Ícone Notícias

Notícias

Encontro debate inovações no controle de sobrepeso em rodovias

25/06/2015 | Fonte: http://estradas.com.br/encontro-debate-inovacoes-no-controle-de-sobrepeso-em-rodovias/

O Diretor de Infraestrutura Rodoviária do DNIT, Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, participou da abertura do evento que vai até esta quinta-feira, dia 25/06. Ele falou a importância do evento para que o Brasil adote de vez e com total segurança as novas tecnologias de fiscalização do excesso de peso nas rodovias federais.

O Diretor lembrou que a Autarquia vem desenvolvendo estudos e fazendo testes com a pesagem em movimento há algum tempo. Graças aos estudos realizados em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina construiu um modelo de Postos Integrados Automatizados de Fiscalização – PIAF, cuja a implantação já está programada pelo DNIT.

Segundo, o Coordenador Geral de Operações Rodoviárias do DNIT, Alexandre Castro Fernandes, a Autarquia já licitou os primeiros 35 PIAFs. A licitação por RDC Integrada contrata desde a elaboração dos projetos, a construção/instalação, até a operação e manutenção dos postos. A previsão de que as rodovias brasileiras utilizem a partir de 2017 a pesagem de veículos em movimento, por meio dos PIAFs, abre novos campos de ação e exigirá mudanças em todos os setores envolvidos, assim como a própria legislação.

A realização deste Workshop busca promover a troca de informações e partilhar diferentes visões sobre sistemas e políticas de controle de peso em cargas transportadas pelas rodovias, considerando as perspectivas científicas, tecnológicas e econômicas, assim como seus reflexos no planejamento, gestão e controle da infraestrutura rodoviária. Em cerca de 12 horas de programação serão apresentados e debatidos temas como as iniciativas de vários países para a pesagem em movimento; Os sistemas de pesagem aprovados pela OIML – Organização Internacional de Metrologia Legal –  e as propostas de inovações no sistema que se propõe para o Brasil.

Cerca de 300 pessoas participam do evento no auditório térreo do edifício sede do DNIT na Capital Federal. Entre eles, estão técnicos, gestores e legisladores que desenvolvem atividades relacionadas ao controle de sobrepeso de veículos, profissionais do Ministério dos Transportes, ABCR, Departamentos Estaduais de Rodovias e infraestrutura, CONTRAN, INMETRO e de Empresas privadas que atuam no setor.

Fonte: Ascom

Ícone Missão técnica do BID avalia no Paraná projetos de infraestrutura

Missão técnica do BID avalia no Paraná projetos de infraestrutura

23/04/2015 | Fonte: http://www.infraestrutura.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=2731

A criação de centros de logísticos, o zoneamento de aeroportos, implantações de planos logísticos e de infraestrutura são algumas das pautas que os técnicos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) vão analisar nesta semana na primeira visita oficial do banco ao Paraná.

A proposta de financiamento na área de infraestrutura prevê também a ampliação da capacidade de rodovias e a pavimentação de estradas de chão batidos. Para executar esta obra, o Governo do Paraná pretende contrair empréstimo de US$ 300 milhões.

A equipe do BID, coordenada por Paulo Carvalho, conheceu nesta quarta-feira (22) todos os projetos durante reunião com a equipe técnica da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (SEIL), Secretaria da Fazenda e do Planejamento. “O Paraná está buscando recursos internacionais para continuar o trabalho de melhoria da infraestrutura paranaense, interligando modais e reforçando a malha rodoviária”, disse o secretário de Infraestrutura, José Richa Filho.

Segundo ele, algumas das propostas de financiamento já têm projetos prontos ou em andamento e, com a aprovação do empréstimo, será possível abrir licitação para atender demandas antigas da sociedade paranaense.

Entre as melhorias previstas, estão as pavimentações de Doutor Ulysses a Cerro Azul, de Pitanga a Mato Rico, de Coronel Domingos Soares e de Irati e São Mateus do Sul. Também estão previstas obras de contornos, a ampliação de capacidade de rodovias de alto tráfego e um novo acesso ao Porto de Antonina.

Na área de aeroportos, o Estado quer recursos para contratar o plano básico de zonas de proteção, que é uma espécie de zoneamento ao redor de 10 aeroportos. Com este plano, as prefeituras e o Estado vão definir o que pode ser construído no entorno dos aeroportos de Andirá, Arapongas, Cornélio Procópio, Ibaiti, Guaratuba, Goioerê, Loanda, Marechal Cândido Rondon, Manoel Ribas e Siqueira Campos. Com este estudo, poderá se reservar áreas para ampliações futuras dos aeroportos e evitar a construção de prédios perto dos pontos de aproximação de aeronaves.

No pacote, há também a elaboração dos planos rodoviários e o plano de infraestrutura e logística, definindo diretrizes para os investimentos futuros nestes modais. Também para integrar os modais, o Estado quer recursos para a implantação de seis centros logísticos, unificando modais rodoviários e ferroviários, com estrutura de galpões para facilitar o escoamento da produção paranaense.

JÁ CONCLUÍDOS - O investimento terá majoritariamente recursos do BID, sendo que a contrapartida do Estado virá de investimentos antecipados pelo Governo, como estudos de viabilidade e projetos executivos já concluídos pela Secretaria de Infraestrutura, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER).

Com os recursos, 196 quilômetros de estradas de chão batido irão ganhar asfalto e serão adequadas aos padrões das demais rodovias estaduais. Além disto, serão consolidados novos corredores rodoviários, com mais de 286 quilômetros, que vão ganhar terceiras faixas, acostamentos e viadutos, ampliando a capacidade e facilitando o tráfego nas rodovias.

Com isto vai melhorar a circulação de veículos, permitindo melhor escoamento de produtos paranaenses em direção ao Estado de São Paulo (PR-317 e PR-182) ou acabando com gargalos nas regiões de Ponta Grossa (PR-151) e de Guarapuava (PR-466).

Dentre os projetos apresentados ao BID, também estão as construções de contornos rodoviários nas regiões de Wenceslau Braz e Castro, retirando o tráfego pesado de dentro destas cidades. Outras cidades que terão desvio de veículos pesados, como caminhões, são as cidades históricas de Antonina e Morretes. Uma nova ligação está em estudo, permitindo o acesso direto ao Porto de Antonina e retirando os caminhões dos centros urbanos.

De acordo com o secretário José Richa Filho, a próxima etapa do Paraná é adequar alguns pontos da carteira de investimentos, ajustando detalhes pedidos pelo BID. A expectativa do Estado é concluir todo o processo de empréstimo ainda neste ano e conseguir assinar o contrato também este ano, para licitar no fim de 2015 e início de 2016.

Ícone DNIT Promove Especialização em Operações Rodoviárias

DNIT Promove Especialização em Operações Rodoviárias

27/04/2015 | Fonte: http://www.dnit.gov.br/noticias/dnit-promove-especializacao-em-operacoes-rodoviarias


Começou nesta quarta-feira (15) o Curso de Especialização em Operações Rodoviárias na Sede da Autarquia em Brasília. O objetivo é formar e aperfeiçoar servidores que atuam na área de operações rodoviárias, e contribuir para a melhoria da fluidez do tráfego e o aumento da segurança, além de preservar as condições do uso da malha viária.
 
O diretor-geral interino do DNIT, Adailton Cardoso Dias, destacou o esforço para viabilizar o curso: “É uma grande conquista para o DNIT e o objetivo é aumentar sempre a capacitação dos servidores”, comemorou. Já o coordenador-geral de Operações Rodoviárias, Romeu Scheibe, enfatizou a importância da pós-graduação: “são muitos os desafios para o exercício da função e o curso de especialização irá contribuir para o desenvolvimento de competência na nossa área”, comentou.
 
Temas como legislação de trânsito, métodos e técnicas para elaboração de orçamentos de obras e serviços, técnicas de pesagem gerenciamento de pavimentos, auditoria de segurança viária e Autorização Especial de Trânsito serão abordados durante os encontros.
 
Os 40 matriculados terão aulas sextas e sábados até o primeiro semestre de 2017. Serão 390 horas distribuídas em 19 disciplinas. O curso contará ainda com três workshops de avaliação e cada aluno escreverá uma monografia como trabalho de conclusão de curso.